quarta-feira, 10 de maio de 2017

Tarzan por José Ortiz - A Vingança do Caçador Negro

Tarzan

por

José Ortiz


No final da década de 70 e começo de 80, 
Tarzan estava sendo produzido pela Atlantic Forlag,
editora sueca que tinha em seu plantel diversos
desenhistas espanhóis. Dentre todos, o que mais
se destacou foi, sem dúvida, José Ortiz, com seu
traço rústico, inspirado no Tarzan de Joe Kubert.

Pretendo publicar aqui no blog todos os episódios
de Tarzan desenhados pelo famoso artista espanhol.



                                                                       Episódio 1

A Vingança do Caçador Negro



























sexta-feira, 28 de abril de 2017

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Fantasma Páginas Dominicais

Anuário do Fantasma Páginas Dominicais 1980

Desenhos de Sy Barry


Sy Barry foi provavelmente
 o maior desenhista do espírito-que-anda.
 Durante mais 30 anos desenhou as páginas dominicais 
e as tiras diárias do Fantasma. Este trabalho procura
 resgatar este material em sua forma original. 
Aqui apresento 2 álbuns coloridos. 
São os anuários 1980 e 1981.

Cada álbum tem 56 páginas coloridas
e custa R$ 95,00. Quem quiser adquirir
é só entrar em contato via email.

liriocomics@gmail.com


Fantasma Páginas Dominicais Anuário 1980






Fantasma Páginas Dominicais Anuário 1981








sábado, 20 de agosto de 2016

Edições LirioComics - Tarzan Páginas Dominicais Coloridas Russ Manning 1968/1969

Tarzan Páginas Dominicais

Russ Manning



De 1968 a 1979, Russ Manning desenhou as páginas dominicais de
Tarzan para os jornais. Foi, na minha opinião, o melhor trabalho feito
para as páginas dominicais do Homem Macaco. Assim como nas tiras diárias,
Manning resgata nas Sundays o Tarzan dos romances de Edgar Rice Burroughs.
Com novas aventuras, mas tendo como pano de fundo o mundo de ERB.

Esta coleção independente da LirioComics Fanzine, conta com 12 anuários
coloridos, trazendo todas as páginas dominicais desenhadas por aquele
que foi um dos maiores artistas a representar o Senhor das Selvas.

São álbuns no formato 320mm x 220mm.
52 páginas coloridas.
Capa papel 250gramas
Miolo papel offset 120gramas


Anuário 1968


A estréia de Manning nas Páginas Dominicais foi com
uma aventura onde ele leva Tarzan novamente a terra dos homens
formiga. Ali ele conhece o pequenino Joiper, valente guerreiro formiga
que o acompanhará no mundos dos ''gigantes'' durante
várias aventuras. 
Neste mesmo álbum, Tarzan reencontra no deserto um
velho inimigo seu, que ele julgava morto. Dagga Rambba foi
criado anos antes por Burne Hogarth.

















Anuário 1969


No Anuário de 1969, Manning leva Tarzan de volta a Opar, 
em uma emocionante aventura na qual ele procura salvar o
grupo de exploradores brancos do altar do sacrifício da bela 
rainha e sacerdotisa La.


























quarta-feira, 20 de julho de 2016

Tarzan e as Jóias de Opar

Tarzan e as Jóias de Opar

Desenhos de Russ Manning

Tarzan é vítima de fraude e fica com as finanças abaladas. Ele, então, volta a Opar com um grupo de guerreiros Waziri, para obter mais ouro. A expedição é seguida por Albert Werper, desertor do exército belga a serviço de Achmet Zek, um mercador de marfim e de escravos. Tarzan e os Waziri, por fim, adentram as cavernas onde o tesouro está guardado sem que La, a Grã-Sacerdotisa de Opar, desconfie de algo.
Alertado por Werper de que o caminho está livre, Achmet Zek incendeia a propriedade de Tarzan e rapta Jane. Mugambi, o bravo Waziri amigo do homem macaco, é o único sobrevivente. Gravemente ferido, ele jura vingar-se de Zek e seu bando.
Um terremoto isola Tarzan e Werper dentro das cavernas, deixando o herói inconsciente. Werper tenta a fuga, porém é capturado pelos oparianos para ser sacrificado.
Tarzan volta a si mas, atacado pela amnésia, retorna ao estado mental de sua juventude, quando vivia como um macaco na tribo de Kerchak..

Nos Quadrinhos


A estreia nos quadrinhos se deu sob a forma de tiras diárias, publicadas nos jornais de 17 de março a 12 de julho de 1930. As ilustrações e o roteiro são de Rex Maxon e R. W. Palmer, respectivamente.[1]
A estreia nos gibis se deu em três partes, entre agosto e outubro de 1966, pela editora Gold Key. Russ Manning ilustrou e Gaylord Du Bois fez o roteiro. A história foi relançada pela Dark Horse Comics em 1999, no formato de graphic novel.[1]
No Brasil, a adaptação foi lançada pela EBAL, na coleção Lança de Prata, no final da década de 1960, com o título de As Joias de Opar. A história foi relançada em 1986, em dois números da revista Tarzan.[3]
Em 1977, a Marvel Comics mostrou sua versão, que teve desenhos de John Buscema e roteiros de Roy Thomas.[1] A EBAL lançou-a no Brasil na série de três números intitulada O Livro da Selva, entre agosto de 1978 e janeiro de 1979.





















Tenho este livro a disposição para quem quiser adquiri.
Se trata de um álbum com as 3 historias publicadas separadamente
pela EBAL em PB, agora juntas e coloridas. 
178 páginas. Capa dura.
O preço R$ 130,00 mais frete.
contato
liriocomics@gmail.com